disciplina

Páginas de todo o mundo: separe os livros da estante e planeje suas próximas leituras

Antes de falar propriamente da planilha de leitura, gostaria de compartilhar com nossos amigos uma das muitas bênçãos que recebi nos últimos dias:

O resultado de um concurso público, que havia sido dado inicialmente como definitivo, foi justamente revisto por sua organizadora e, dentro de algumas semanas, O Rei das Planilhas se aproximará da tão sonhada oportunidade no serviço público.

Ao longo de todo o processo, naturalmente angustiante, alguns dos candidatos lutaram para permanecer convictos de que Deus está à frente de nossos planos e guarda sempre o melhor para Seus filhos. A tão almejada vitória refletiu esse melhor, também inimaginável por todos, que Deus reservou para nós.

A planilha de planejamento pessoal de leitura é extremamente útil para quem está com um monte de livros para ler e não sabe por onde começar ou, ainda, se conseguirá terminar de ler a tempo (no caso de monografias, provas, pesquisas, reuniões de projeto, clubes do livro etc.).

Também tem grande serventia para os amigos que aproveitam promoções de livros com frete grátis (como as do Submarino) e estocam obras e obras em casa sem a determinação necessária para desfrutar de cada uma delas.

Trabalhamos numa versão bem simples de usar: basta preencher os dados da leitura (título do livro, intervalo de páginas, prazo) e acompanhar o gráfico de progresso de cada livro para se entusiasmar com o brilhante universo da leitura!

Utilizando a planilha

reidasplanilhas-planilha-leitura-pessoal-livros

  1. Para cada livro de seu plano de leitura, preencha os seguintes dados: informações gerais (descrição / autor / observações), intervalo de leitura (páginas inicial e final), data de início e prazo final da leitura;
  2. Na última coluna da tabela, você verá a sua meta de leitura diária para conseguir concluir seus livros até o prazo escolhido;
  3. Ao preencher a coluna página atual (em amarelo) conforme for avançando na leitura, o gráfico de progresso será atualizado;

Em tempo

No exemplo preenchido acima, citei os seguintes livros, que podem ser uma boa sugestão de leitura para você que deseja inaugurar sua planilha:

 

Download

Contando os pontos: planilha para gabarito de prova objetiva

Nos próximos dias ficaremos ausentes por conta do concurso para assistente técnico-administrativo do Ministério da Fazenda.

Isso mesmo! O Rei das Planilhas também é concurseiro.

No entanto, resolvemos aproveitar esse bom motivo do mundo real (salário razoável, busca de estabilidade, boa quantidade de vagas) para deixar mais uma contribuição aqui no blog.

Seja como fase única ou componente, as provas objetivas estão presentes em todos os concursos para provimentos de cargos efetivos da administração pública.

A planilha a seguir trata da marcação e acompanhamento do gabarito dessas provas objetivas, desde o gabarito preliminar, passando pela estimativa de pontuação por ocasião da interposição de recursos, até a publicação do gabarito definitivo.

Utilizando a planilha

reidasplanilhas-planilha-gabarito-prova-objetiva

  1. Foram criadas duas abas para essa planilha.
  2. Na primeira aba (QUADRO), o candidato começa preenchendo suas informações de inscrição (nome completo, órgão promotor e cargo pretendido), depois passa para a lista de disciplinas presentes em suas provas objetivas. Para cada disciplina, há campos para definir a quantidade e o peso das questões, além do mínimo de acertos.
  3. Na seqüência de colunas de cada disciplina, há a indicação do somatório de acertos em cada etapa de correção das provas objetivas (gabarito preliminar, interposição de recursos e gabarito definitivo).
  4. Novidade! Agora também é possível definir o modo de contagem da pontuação: 01 – Normal (somatório de acertos), 02 – Cada questão errada anula uma certa ou 03 – Uma questão errada desconta 0,5 correta.
  5. Logo abaixo, o candidato visualizará os gráficos de acertos e erros e de participação de cada disciplina em sua pontuação final (score share). Esses gráficos são atualizados de acordo com as informações dasegunda aba: RESPOSTAS 
  6. Nessa aba, o candidato lançará suas notas (coluna de Respostas) atentando para o início de cada disciplina. Caso a ordem das disciplinas na primeira aba não coincidam com a seqüência das disciplinas no caderno de provas, será necessário editar a primeira aba a fim de que o somatório de acertos para cada disciplina seja fiel ao real.  
  7. Tão logo o gabarito preliminar seja publicado, o candidato preencherá as questões sequencialmente. Essa edição já atualizará a tabela de pontuação da primeira aba, assim como os gráficos predefinidos.
  8. O candidato poderá utilizar a coluna de Recursos para indicar as questões cujo gabarito foi contestado. Nesse caso, não é necessário preencher toda a coluna, mas apenas acrescentar a alternativa sugerida à banca. Para questões anuláveis, o candidato pode optar por colocar um asterisco (*) para indicar que qualquer resposta será aceita.
  9. Por fim, na publicação do resultado final, o candidato preencherá o gabarito definitivo completo e obterá sua pontuação final definitiva.

Créditos da versão atualizada

Agradecemos ao amigo Cloud Consurseiro pela dica do modelo de contagem da CESPE. Confira abaixo os comentários.

Atenção!

  • As planilhas aqui publicadas gratuitamente foram testadas com recursos limitados e, por isso, são passíveis de apresentar eventuais inconsistências.
  • Nosso esforço foi no sentido de disponibilizar uma ferramenta de aferição do somatório de pontos de um candidato, com praticidade e comodidade.
  • No entanto, é de inteira responsabilidade do candidato: checar a sua própria pontuação através de outros meios, se assim desejar, bem como atentar para a existência de eventuais médias ponderadas pelo desvio padrão de acertos dos demais candidatos, que possam, dessa maneira, particularizar os resultados de um determinado concurso.

Quem ama caminha junto: acompanhe de perto o rendimento escolar de seu filho

Faltando pouco menos de uma semana para iniciar minha especialização, lembrei-me de algumas de minhas voltas às aulas.

A escola era a mesma, assim como boa parte dos professores, mas o cheiro das paredes recentemente pintadas para nos receber colaborava com um clima de redenção e determinação para aqueles que, como eu, haviam passado raspando no ano anterior.

Parece-me que aquela motivação desfocada para obter sucesso em todos aqueles assuntos inéditos sempre esbarrava nos convites de amigos para partidas de futebol, seriados de TV e jogos de computador.

Com o passar das unidades, o que se constatava era um ciclo de notas baixas que migravam indistintamente entre as matérias. Ora meu problema estava com História e Química, ora com Biologia e Geografia e assim por diante.

O que estava acontecendo, na realidade, pode ser resolvido assim que parei de tentar convencer meus pais de que tudo estava sob controle e pedi ajuda a eles para tentar resolver meu problema — você já deve estar imaginando o quanto eu estava perdido!

Após aquela conversa, percebi que meus boletins refletiam a minha rotina escolar. No início do ano, quando eu tinha a chance de equilibrar todas as matérias aos poucos, eu acabava me satisfazendo em acreditar que estava absorvendo tudo que precisava em sala de aula. Acumulando exercícios não feitos e deixando de ler os complementos sugeridos pelos professores, só me lembro de me dar mal em minhas avaliações.

Nas matérias simples, obtinha notas medianas. Nos assuntos mais complicados, notas vermelhas. Daí, iniciava aquele ciclo virtuoso de correr atrás de uma matéria quase perdida e tomar nota baixa em outra que estava indo relativamente bem. Em meio a essa oscilação, era impossível até distinguir quais as matérias com que tinha maior afinidade.

As palavras mais desafiadoras daquela conversa com meus pais foram: foco e disciplina. Foco para nunca me esquecer aonde gostaria de chegar ao final de meus próximos anos de educação. Disciplina para optar pelo caminho mais longo ou cansativo sempre que necessário para atingir o objetivo de longo prazo desejado.

Daí, resolvemos monitorar por um tempo minhas notas e estabelecer algumas táticas para, em primeiro lugar, assegurar as notas nas matérias em que estava indo bem e, em seguida, melhorar o meu desempenho naquelas em que estava indo mal.

A planilha que disponibilizamos abaixo é uma versão da que utilizamos para medir os resultados de nossa estratégia bem-sucedida.

Em tempo: conheça também a nova planilha de acompanhamento de boletim escolar e desempenho acadêmico (2012).

 

Utilizando a planilha

reidasplanilhas-planilha-boletim-escolar

  1. A alimentação da planilha inicia com as particularidades da escola de seu filho: média mínima para aprovação, número máximo de faltas permitidas, média mínima para aprovação após a recuperação etc.
  2. Após isso, preencha o nome do aluno e a sua série escolar.
  3. Depois adicione a lista de disciplinas e a respectiva carga horária prevista.
  4. Pronto. Agora é só ir lançando as notas com a chegada dos boletins mais atualizados e ir acompanhando os altos e baixos das notas para identificar as matérias que precisam de mais atenção.
  5. O gráfico montado foi planejado para agrupar as notas de cada disciplina ao longo das unidades.

Em tempo

Ao hábito de acompanhamento do desempenho escolar de seu filho, recomendamos um sistema simples de recompensas.

Não estamos sugerindo tão simplesmente o envolvimento de aumentos de mesadas, brinquedos, eletrônicos ou promessas de presentes e coisas do gênero. Mas talvez seja bom você considerar associar os sucessos obtidos ao reconhecimento de seu esforço e bons momentos em família.